04.12.2017 - Post : Por que não fracionar ração?

A ração vendida sem embalagem ou em quantidades fracionárias estão amplamente difundidas em pet shops e casas de ração no Brasil, com o pensamento de facilitar a vida de que compra. 

Na realidade essa prática pode fazer mal à saúde de seu animal de estimação, pois os sacos mantidos abertos ou em outros recipientes, no qual o produto fica em contato com o ar e permite seu manuseio são facilmente contaminadas por fungos presentes no ambiente, então não é bom arriscar.

Os fungos colonizam a ração, principalmente quando a temperatura e umidade são ideais, favorecendo o crescimento e multiplicação desses micro-organismos que podem produzir toxinas responsáveis por vômitos ou diarreias, variando de acordo com a quantidade de ração ingerida e com a idade do animal, especialmente as micotoxinas responsáveis por intoxicação aguda ou crônica e com potencial carcinogênico (câncer em um organismo). 

Além disso, o contato com o ar e com a luz resulta em alterações na composição da ração e até diminuição de nutrientes, ou seja, você comprará outro produto que não corresponde ao da embalagem original e ainda não se terá controle da data de validade. 

Pode-se observar um risco mais grave quando o produto normalmente é estocado de forma descoberta ou é coberto por algo que pode ser facilmente removível por outros animais como baratas e outros insetos, porque o cheiro e o sabor da ração atraem esses tipos de animais. 

Por isso recomenda-se verificar se as rações estão sendo comercializadas em suas embalagens originais, lacradas, livres do manuseio e do contato com o ar, distantes da umidade e poeira. 

Assim, será possível evitar contaminações por fungos e bactérias, perda de nutrientes e manter o controle sobre os prazos de validade. 

 

por Leonardo Alves De Farias

Graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Campina Grande (2007), Especialização em Gestão Ambiental - IFRN (2010), Mestre em Medicina Veterinária.

Voltar