31.08.2020 - Post : Tudo o que você precisa saber sobre os roedores!

Origem e características

Você sabia que a domesticação dos roedores revelou ser anterior a de outros pets convencionais? Um estudo publicado pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences, evidenciou que a relação entre humanos e roedores já perpetua por mais de 15 mil anos. Hoje, populares animais de estimação, esses bichinhos despertam encanto por sua docilidade, inteligência, curiosidade e capacidade de interagir. Além de pequenos, perfeito para quem tem pouco espaço em casa e procura um amigo, esses animais apresentam outras vantagens para criação. Fácil manejo, independência e pouca despesa são algumas delas.  

Espécies

É possível encontrar várias espécies desses pequerruchos no mercado. Mas antes de criar um é crucial entender suas exigências e necessidades. Conheça as principais espécies, além de suas curiosidades e avalie a que melhor se enquadra com seu cotidiano e família.

 hamster

Hamster

  Além de pequeninos, existe uma grande variedade desses animais, com uma diversidade de cor de pelagem. São animais noturnos, por isso sua visão não é das melhores, orientando-se por outros sentidos. Usam muito seus grandes bigodes como guia.

  Vale lembrar que tanto as fêmeas quanto os machos são territorialistas, por essa razão é indicado apenas um animal por gaiola. Outra característica desses roedores são suas bolsas guturais, as famosas “bochechas”, nas quais armazenam o alimento e transportam até sua toca.

  Uma dica para aproximar as relações com seu bichinho é comprá-los filhotes, assim fica mais fácil a adaptação e ofertar o alimento na mão, para que ele se acostume com você.

gerbil

Gerbil

  Mais conhecido por Esquilo da Mongólia, esse bichinho apresenta características muito diferentes dos Hamsters. São sociáveis, por isso o ideal é criar mais de um por recinto. Entretanto, suas fêmeas são dominantes e territorialistas, por isso cuidado com a introdução de um novo integrante em um grupo antigo.  Eles também apresentam bastante atividade durante o dia.

   Atenção! Muito cuidado sua grande cauda, devido seu tamanho e sensibilidade é suscetível a lesões se manuseada. Alguns acreditam ser um mecanismo de escape.

topolino

Topolino

 O famoso camundongo doméstico é popular nos Estados Unidos e Europa, porém tem ganhado os lares brasileiros. Eles estão entre os menores dos roedores comumente criados. Assim como os hamsters são animais noturnos com pouca visão, no entanto sociáveis, chegando a formar grandes colônias.

 Em razão de sua agilidade, deve-se ter cuidado com tentativas de fuga.   

twister

Twister

  Esse animal pode causar repugnância à primeira vista, em razão de sua semelhança as ratazanas encontradas nas ruas das cidades. Contudo, rompa este preconceito. São roedores extremamente inteligentes e interativos, que despertam paixão em seus tutores. Eles podem até aprender truques e obedecer a ordens.

De hábitos noturnos e sociáveis, é interessante criar mais de um animal no mesmo recinto.  

 porquinho-da-india

Porquinho-da-índia (Cavia porcellus)

  Apesar do nome são originários da América do Sul e não há semelhanças com os porcos. Apresentam grande variedade, morfologicamente relacionada ao tamanho e direção dos pelos. Os mais comuns são a variedade Inglesa, pelo curto e liso, Abissínia, pelos curtos com uma série de “redemoinho”, e Peruana, pelos longos e sedosos.

  São animais sociais e raramente mordem ou arranham. Mas, se assustam facilmente, além de não aceitarem bem mudanças no ambiente e manejo. Nessa espécie os machos podem brigar, por isso o ideal é criar junto fêmeas ou casal. Seus gritinhos são populares, e estão associados a gratificações, como alimentação. 

chinchila

Chinchila

Com uma pelagem de dar inveja, as chinchilas são roedores exuberantes e que despertam atenção por seu pelo belo e macio. Para manter esse pelo sedoso é necessário banhos frequentes com um tipo de pó de banho específico para roedores, fácil de encontrar em grandes Pet Shops.

  São roedores maiores e precisam de mais espaço que os demais. Gaiolas com mais de um nível são ideais, pois atendem ao comportamento natural desse bicho de saltar. 

mini-coelho

Mini coelho

  Primeiramente, não são roedores, mas compartilham muitas características com estes. Os coelhos são na verdade lagomorfos. Sua principal semelhança com os roedores, são que seus dentes incisivos nunca param de crescer, por isso o hábito de roer tão marcante. São interativos e apegados a seus tutores.  É possível encontrar grande variedade de raças, diversas entre si.

  Jamais pegue esses animais por suas orelhas, elas são sensíveis e cheias de vasinhos. Isso pode provocar dor no seu companheiro.

Tabela descritiva sobre algumas curiosidades e dicas:

Roedor

Longevidade (anos)

Tamanho (cm)

Comportamento

Ração Nutricon

Hamster

2

10 a 15

Territorialista

Nutriroedores

Gerbil

2.5 a 3.5

25

Sociável

Nutriroedores

Topolino

1

8 a 13

Sociável

Nutriroedores

Twister

3 a 4

30

Sociável

Nutriroedores

Porquinho-da-índia

5 a 8

25 a 30

Sociável

Chinchila

Chinchila

13 ou mais

40

Sociável

Chinchila

Mini - coelho

8

23 a 35

Sociável

Nutrirabbit


Cuidados

Alimentação

  As alimentações comerciais são sempre elaboradas para atender a todas as exigências nutricionais do seu pet, promovendo maior saúde e longevidade. A Nutricon é uma empresa de excelência, que apresenta uma linha específica para roedores: Nutriroedores, Nutrirabbit e Chinchila, além de seu alimento distrativo Nutrihome, desenvolvido pensando no enriquecimento ambiental do seu amiguinho. Os roedores apresentam dentes (incisivos) que crescem continuamente, por isso promover o desgaste é essencial. Além da ração, que devido sua consistência ajuda nesse desgaste, é fundamental o aporte de folhas e alfafa em sua dieta para evitar problemas de dentição.  

Água

Nunca deixe seu bichinho sem água e lembre-se de trocá-la diariamente.

Gaiola

 O lar desses animais pode ser de vários materiais e formas, desde gaiolas a terrários. O importante é certificar que não apresentem possibilidade de fuga ou objetos e superfície  perigosas. Além de espaço suficiente para estes se exercitar, comer e dormir.

Higiene

É necessária constante higiene de bebedouros, comedouros e gaiola para certificar a saúde do seu companheiro. É comum associações de roedores a ambientes sujos, mas esta é uma visão equivocada. São animais que passam boa parte do seu dia higienizando-se, e ambientes sujos, além de apresentarem perigos a saúde, são estressantes. Apenas água e sabão bastam para uma limpeza adequada. 

Atenção tutor! É comum esses animais roerem diferentes objetos que entram em contato, portanto cuidado com quaisquer artefatos colocados na gaiola, certifique-se que eles não ofereçam risco. Outro problema comum está relacionado com as ilustres rodinhas, essas devem ser de materiais lisos, sem furos ou grandes, pois podem prender as patinhas e lesioná-las.   

  Nunca automedique seu roedor, várias espécies são sensíveis a diversos fármacos. Se ele apresentar qualquer problema procure sempre um veterinário de pets exóticos e cuide bem do seu amigo!

  E lembre-se, posse responsável sempre! Esses são seres sencientes; sentem sensações e sentimentos de forma consciente como medo, fome, que merecem amor e cuidado. 

 

REFERÊNCIA
Revista National Geographic. Humans domesticated mice 15,000 years ago. Março, 2017. https://www.nationalgeographic.com/news/2017/03/house-mouse-domesticated-humans-animals-science/#:~:text=Conventional%20wisdom%20has%20said%20that,when%20humans%20learned%20to%20farm.&text=By%20studying%20the%20fluctuations%20of,humans%20around%2015%2C000%20years%20ago.
Andrade et al. Animais de laboratório: criação e experimentação. FIOCRUZ. 2006
Site: The American Gerbil Society. https://www.agsgerbils.org/
 
Voltar