16.09.2020 - Post : Ômegas 3 e 6: o que são e qual importância na alimentação animal?

   Os ácidos graxos essenciais, conhecidos por ômegas 3 e 6, são compostos formadores de gorduras (lipídeos), fontes energéticas necessárias para uma alimentação adequada. Eles foram descobertos no início do século passado e desde então as pesquisas quanto aos seus benefícios, seja para humanos ou animais, ganharam o cenário quando o assunto é nutrição. Isso se deve ao fato de serem alimentos funcionais, ou seja, além do valor nutricional apresentam efeitos metabólicos e fisiológicos benéficos à saúde, que vão desde o combate do envelhecimento da pele ao controle do nível de colesterol, entre outras diversas funções.  Entretanto, estes não são sintetizados em quantidades insuficientes pelo organismo dos animais e devem ser fornecidos na dieta.

  O Ômega 3 pode ser encontrado em sementes oleaginosas (linhaça, canola) e peixes de água fria. Enquanto o Ômega 6 no óleo de girassol, óleo de soja, óleo de milho e produtos de origem animal.

  Vale ressaltar que a proporção de Ômega 3 e Ômega 6 ingeridos deve ser balanceada, mas quando o assunto é nutrição de peixes notamos que espécies de água marinha e doce apresentam necessidades diferentes.  Peixes marinhos carnívoros dependem de uma dieta rica em Ômega 3, já peixes de água doce apresentam maior proporção de Ômega 6 em suas dietas.  São três os fatores que influenciam esse ‘balanceamento’ dos ácidos graxos: genéticos (espécie e etapa de desenvolvimento), ambientais (temperatura e salinidade) e nutricionais.

  A ausência de ácidos graxos nas rações de peixes ocasiona perda de peso, aumento de umidade corporal e outros problemas de ordem nutricional, como foram ressaltados pelo especialista Ricardo C. Martino, em uma matéria para a revista Panorama da Aquicultura.  A deficiência dos ácidos graxos essenciais causa: diminuição do crescimento, piora da conversão alimentar, aumento de mortalidade, aumento de líquido nos músculos, ulcerações nas nadadeiras, degeneração gordurosa do fígado, aumento da taxa respiratória e diminuição dos níveis de hemoglobina e número de hemácias.

  Pensando na necessidade desses nutrientes para a saúde dos peixes, a Nutricon desenvolveu alimentos sabiamente enriquecidos com Ômega 3 e 6. As fontes de ômega 3 são: óleo de peixe marinho, farinha de peixe marinho, farinha de salmão, farinha de sardinha, farinha de atum, farinha da alga schizochytrium sp, spirulina e a linhaça. A fonte de ômega 6 é o óleo de soja. Na nossa linha contamos com o incremento balanceado de ácidos graxos essenciais nas nossas rações: Marinho Dia-a-dia P/M, Marinho Soft, GoldFish Crescimento, GoldFish Color, Sticks Food Crescimento, Sticks Food Dia-a-dia, Sticks Food Coloração, Sticks Food Mix, Diskus Fish, Nutriflakes, Premium Flakes e Nutricores.

 

Referências: 

Martino, Ricardo C.. Exigências e cuidados na adiçãode Lípidios em Rções para ?Peixes e sua Importância para o Homem. Revista Panorama da Aquicultura. Edição 74. 2002

Souza et al, Silvia Maria Guimarães de. Ácidos graxos Ômega-3 e Ômega-6 na nutrição de peixes: fontes e relações. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v.6, n.1, p. 63-71, 2007.

Zuanon et al. Jener Alexandre Sampaio. Produção e nutrição de peixes ornamentais. Revista Brasileira de Zootecnia. v.40, p.165-174, 2011.

Voltar